Ficção, Lichtarowicz

The first book of Calamity Leek de Paula Lichtarowicz

Plot summary:
Books tell you what to believe.
Books explain the world around you.
What if a book had been written to explain a world constructed for you?
What if that world suddenly fell apart?
Calamity Leek needs a new book, but she’s going to have to write it herself.

Review:
Quando acabei este livro a minha primeira reação foi “O QUE É QUE EU ACABEI DE LER?”, mas isto num bom sentido. Não tinha quaisquer expetativas quando comecei ler e acabou por se revelar uma grande surpresa.

Esta história é narrada por Calamity Leek, uma menina que foi criada num ambiente fechado, estranho e muito diferente daquilo a que estamos habituados. Os primeiros capítulos são um pouco confusos, mas a partir do momento em que nos apercebemos do mundo em que a Calamity vive, tudo se torna mais claro.

Contos, Psicologia, Review, Saúde Mental, Vários Autores

Uma Dor Tão Desigual de Vários Autores

 

Plot summary:
Este livro resulta de um desafio feito a oito autores portugueses para que explorassem as fronteiras múltiplas e ténues que definem a saúde psicológica e o que dela nos afasta. Em estilos muito diferentes, um leque extraordinário de escritores brinda-nos com textos que mostram como qualquer um de nós pode viver momentos difíceis e precisar de ajuda.
Estas são histórias de perda, solidão, fraqueza e delírio, mas também de esperança e humanidade. São relatos de gente que podíamos conhecer e talvez conheçamos, histórias íntimas e ricas de homens e mulheres como nós.
A área da saúde psicológica está ainda sujeita a muitos preconceitos, que dificultam a procura de ajuda profissional e estigmatizam quem sofre. Pretende-se com este livro combater esses preconceitos, despertar consciências e ajudar a encontrar uma saída.

Review:
Gostei tanto desta leitura que nem sabia muito bem que palavras usar para a descrever!

O melhor deste livro é o seu objetivo, o despertar de consciências para aquilo que se possa passar à nossa volta. O mais importante é não julgar sem saber.
Na nossa sociedade existe sempre o receio de procurar ajuda, mas não deveria existir. O primeiro passo é admitir que podemos não estar bem.

Este livro emergiu do desafio proposto a vários autores pela ordem dos psicólogos para abordarem o conceito de saúde mental. Assim, encontramos neste livro vários contos com diferentes perturbações psicológicas.
Todos os contos prendem-nos do início ao fim, mas os três contos que mais gostei foram dos autores: Afonso Cruz; Dulce Maria Cardoso; e do Richard Zimler. Nestes contos encontramos histórias de perda e de delírio.

Estes são temas que devem ser lidos por todos, porque hoje em dia ainda lidamos com muito preconceito em relação à saúde mental. A mensagem mais importante presente nesta leitura é que sem a nossa saúde mental, nunca estamos bem.

Espero que este desafio continue em próximas parcerias!

5 estrelas! A temática, perturbações psicológicas, chamou-me bastante à atenção e a leitura foi bastante acessível. Este é um livro muito bem conseguido, “puxa” o olho de quem não está dentro do assunto.

Fantasia, Review

Sete minutos depois da meia-noite de Patrick Ness

Plot summary:
Passava pouco da meia-noite quando o monstro apareceu.
Inspirado numa ideia original da escritora Siobhan Dowd, que morreu de cancro em 2007, Patrick Ness criou uma história de uma beleza tocante, que aborda verdades dolorosas com elegância e profundidade, sem nunca perder de vista a esperança no futuro. Fala-nos dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para os ultrapassar. Fantasia e realidade misturam-se num livro de exceção, com ilustrações soberbas que complementam e expandem a beleza do texto.

Review:
Que livro!! Adorei! O autor Patrick Ness surpreendeu-me bastante pela positiva. E estou desejosa de ler mais livros que tenham a mão dele!

Não consegui largar o livro a partir do momento que o comecei a ler. A história prende-nos logo desde o início quando conhecemos o Conor e o que se passa na vida dele. Sentimos, desde logo, uma grande empatia por ele.

Achei bastante interessante o conceito do invisível e a questão que este levanta, “…se somos invisíveis será que realmente existimos?”. E, posteriormente, o conceito do visível, o facto de se querer ser visto e não passar pelo meio da multidão como se nada fosse.