Ferrante, Quit, Review, Romance

História do Novo Nome de Elena Ferrante

 

Plot summary:
Este romance continua a história de Lila e Elena, tendo como pano de fundo a cidade de Nápoles e a Itália do século XX.
Lila, filha de um sapateiro, escolhe o caminho de ascensão social no próprio bairro e, no final de A Amiga Genial, vemo-la casada com um comerciante. Elena, pelo contrário, dedica-se aos estudos.
Ambas têm agora 17 anos e sentem-se num beco sem saída. Ao assumir o nome do marido, Lila tem a sensação de ter perdido a identidade. Elena, estudante modelo, descobre que não se sente bem nem no bairro nem fora dele.
No início, vemos Elena a abrir um caderno de notas onde Lila fala sobre a vida com o seu marido e as complicadas relações com a Mafia e os grupos neofascistas, que invadem os bairros com as suas proclamações.
Lila e Elena hesitam entre a tendência para a conformidade e a obstinação em tomar nas suas mãos o seu destino, numa relação conflitual, inseparável mistura de dependência e vontade de autoafirmação, em que o amor é um sentimento «molesto» que se alimenta do desequilíbrio até nos momentos mais felizes.

Review:
Raramente desisto de um livro, mas neste foi mesmo o que aconteceu.
Ha pouco tempo li o primeiro livro desta sega, A Amiga Genial, e até lhe dei uma boa cotação. No entanto, a personagem Lila irritou-me bastante até ao ponto de ter vontade de a chamar a atenção em voz alta.

É importante frisar que esta é apenas a minha opinião, esta leitura não resultou comigo, mas pode resultar com outras pessoas.

Ferrante, Ficção, Literatura

A Amiga Genial de Elena Ferrante

Plot summary:
“A Amiga Genial” é a história de um encontro entre duas crianças de um bairro popular nos arredores de Nápoles e da sua amizade adolescente.
Elena conhece a sua amiga na primeira classe. Provêm ambas de famílias remediadas. O pai de Elena trabalha como porteiro na câmara municipal, o de Lila Cerullo é sapateiro.
Lila é bravia, sagaz, corajosa nas palavras e nas acções. Tem resposta pronta para tudo e age com uma determinação que a pacata e estudiosa Elena inveja. (…)

Review:
Bem, houve uma altura em que toda a gente andava atrás deste livro e eu quis saber a razão e, por isso, decidi lê-lo.

Esta é uma história de duas amigas, Elena e Lila, que se conhecem desde pequenas. A relação delas, para mim, é um pouco esquisita, parece sempre que a primeira vive em função da segunda. A Elena passa a vida a querer agradar a sua amiga Lila, durante toda a leitura vamos rezando para que ela se aperceba que a amizade tem de partir sempre dos dois lados.

Clássicos, Ficção, Infantil, Review, Sepúlveda

História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar de Luis Sepúlveda

Plot summary:
Esta é a história de Zorbas, uma gato grande, preto e gordo. Um dia, uma formosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr. Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar. Tudo isto com a ajuda dos seus amigos Secretário, Sabetudo, Barlavento e Colonello, dado que, como se verá, a tarefa não é fácil, sobretudo para um bando de gatos mais habituados a fazer frente à vida dura de um porto como o de Hamburgo do que a fazer de pais de uma cria de gaivota… Com a graça de uma fábula e a força de uma parábola, Luis Sepúlveda oferece-nos neste seu livro já clássico uma mensagem de esperança de altíssimo valor literário e poético.

Review:
Este livro é recomendado para os mais jovens, mas nunca o tinha lido. O que me chamou bastante à atenção foram as ilustrações que este contém. E, para ser sincera, nunca tinha lido Luis Sepúlveda.

O que mais gostei neste livro foram os seus conteúdos, não é apenas uma história de um gato e de uma gaivota, aborda muitos conteúdos morais. Dentro dos temas abordados podemos encontrar: degradação do ambiente; lidar com a diferença; lealdade; dedicação e amizade.

Quotes, Sepúlveda

Sepúlveda, Luis

(…) Não te contradissemos quando te ouvimos grasnar que és um gato, porque nos lisonjeia que queiras ser como nós; mas és diferente, e gostamos de que sejas diferente. (…) Demos-te todo o nosso carinho sem nunca pensarmos em fazer de ti um gato. Queremos-te gaivota. Sentimos que também gostas de nós, que somos os teus amigos, a tua família, e é bom que saibas que contigo aprendemos uma coisa que nos enche de orgulho: aprendemos a apreciar, a respeitar e a gostar de um ser diferente. É muito fácil aceitar e gostar dos que são iguais a nós, mas fazê-lo com alguém diferente é muito difícil, e tu ajudaste-nos a consegui-lo.

Sepúlveda, Luis, História de uma Gaivota e do Gato que a ensinou a voar