Ficção histórica, King, Mistério, Review, thriller

22.11.63 de Stephen King

Stephen King é um autor que todos conhecem e que toda a gente ouve falar. Isto porque o encontramos em livros, em filmes ou até em séries.
Este livro, 22.11.63, é mais um dos sucessos do Stephen King. Está caraterizado como um thriller e vai-vos levar a uma longa viagem ao passado.  Se gostam de viagens ao passado, se gostam de uma escrita em que parece que o autor fala diretamente para vocês, este é o livro. Sem dúvida!

Plot Summary:
Quando o seu amigo lhe propõe que atravesse uma porta do tempo para regressar ao passado com uma missão especial, Jake fica completamente arrebatado. A ideia é impedir que Oswald mate o presidente Kennedy. Jake regressa a uma América apaixonante e começa uma nova vida no tempo de Elvis, dos grandes automóveis americanos e de gente a fumar.
O curso da História está prestes a mudar…

Este é a sinopse que encontramos na capa do livro, mas penso que esta sinopse não evidencia aquilo que o livro é. Mas de uma forma geral, está lá tudo. Jake viaja para o passado para impedir o assassinato do presidente Kennedy. Sendo o objetivo desta missão, tornar o mundo melhor. Este é o ponto central deste livro, mas toda uma história se desenrola a partir do momento que Jake viaja para o passado. A viagem ao passado começa em 1958 e o assassinato de Kennedy é em 1963.

Um das coisas que mais gostei neste livro foi o facto de misturaram acontecimentos históricos com ficção. Isto porque ao mesmo tempo que te divertes a ler um livro, estás a aprender história.
Outro fator está centrado no facto de Jake ser aconselhado a manter-se o mais distante possível das pessoas, é mesmo aconselhado a não manter contacto com nada do passado, pois qualquer coisa que este faça pode alterar completamente o futuro (o que denominam: efeito borboleta). Mas este livro acaba por mostrar a essência das pessoas, porque ninguém consegue estar isolado. As pessoas têm sempre que fazer parte de alguma coisa, têm que ter alguém para partilhar a mínima coisa que seja. E Jake evidencia exatamente esta questão, não se pode viver na solidão.

Claro que nem tudo são rosas. Todos os livros do Stephen King caraterizam-se por um número elevado de páginas, e, por isso, até os denomino de bíblias. Eu gosto disso, gosto que as histórias se vão desenrolando ao seu ritmo. Mas para o final deste livro, até chegar à data do assassinato, senti que estavam a enrolar, senti que estavam a ir demasiado devagar. Quando chegou a data do assassinato tudo mudou. tinha mais conteúdo e a história acabou da melhor forma possível.

Este livro leva as merecidas 4 estrelas.

Imagem

Comments

comments