Autobiografia, Não-ficção, Poesia, Review

Note to Self de Connor Franta

Plot summary:
Told through short essays, letters to his past and future selves, poetry, and original photography, Note to Self is a raw, in-the-moment look at the fascinating interior life of a young creator turning inward in order to move forward.

Review:
Bem, eu já tinha visto este livro por todas as redes sociais, só conhecia mesmo o conteúdo do resumo. Como já referi em publicações anteriores, a saúde mental é um tema que me interessa muito e, por isso, não hesitei quando decidi começar esta leitura.

Este livro acabou por me surpreender bastante, eu não conhecia nada deste autor e, pelos vistos, ele é muito famoso nas redes sociais.

Uma das razões que me fez gostar muito deste livro foi mesmo a forma como o assunto foi abordado. Este autor dá-nos a sua perspetiva do que é viver com depressão, ansiedade social e sexualidade. Mas esta abordagem não fala de uma forma de cura, mas sim da forma como ele aprendeu a viver e a lidar com esta debilitação.

Apesar de ser um tema que muitas pessoas considera pesado, a leitura deste livro tornou-se mais fluída devido à quantidade de imagens que acompanham todos os capítulos. Estas imagens vão ilustrando aquilo que vamos lendo. A escrita também é bastante acessível e direta, faz-nos sentir que o autor está mesmo a dirigir a palavra ao leitor.

 

Connor fala sobre as suas emoções e experiências de um sentido que faz com que as pessoas não se sintam sozinhas e que nada neste mundo está isolado. Foi um dos aspetos que resultou muito bem e que me fez gostar ainda mais desta leitura, porque muitas pessoas vão-se identificar com muitas das passagens deste livro. Outro aspeto que chamou muito da minha atenção foi a forma com o autor fala sobre a depressão. Ele fala de si próprio durante aquele período como se estivesse a falar de outra pessoa. É mesmo muito interessante ler a partir desta perspetiva.

Dei as 5 estrelas no GoodReads!

Onde podes comprar o livro:
Book Depository

 

Ficção, Kinsella, Review, Romance

Finding Audrey de Sophie Kinsella

Plot summary:
Audrey can’t leave the house. she can’t even take off her dark glasses inside the house.
Then her brother’s friend Linus stumbles into her life. With his friendly, orange-slice smile and his funny notes, he starts to entice Audrey out again – well, Starbucks is a start. And with Linus at her side, Audrey feels like she can do the things she’d thought were too scary. Suddenly, finding her way back to the real world seems achievable.

Review:
Neste livro conhecemos Audrey e sabemos que alguma coisa de mal lhe aconteceu na escola. No presente, ela sofre de ansiedade social e não consegue sair de casa, nem sequer olhar as pessoas nos olhos e, por isso, usa uns óculos escuros. Ficamos também a conhecer a sua família (a mãe, os dois irmãos e o pai) e também um amigo do irmão, o Linus.

Este livro chamou-me a atenção porque contém um tema que me interessa muito, a saúde mental.
No entanto, estava à espera que o tema fosse mais desenvolvido, ao pormenor, senti que tudo ficou assim a pairar no ar. Primeiro, nunca chegamos a saber o que lhe aconteceu na escola. Nunca chegamos a saber o que desencadeou toda esta história e, para mim, é um ponto crucial; e segundo, a certo ponto do livro parece que tudo está mais direcionado para o irmão do que propriamente para a Audrey.

Em relação às personagens, o Linus, acaba por ter uma relação amorosa com a Audrey, mas senti que ele apareceu um pouco caído do céu. À medida que a leitura ia avançando percebi que está relação não tinha um grande fundamento.
Quanto à família, é muito carinhosa e protetora. A mãe é um pouco eufórica e desatina com qualquer coisa e o pai é uma pessoa mais relaxada.

Vou deixar aqui duas citações que me ficaram na cabeça:
” (…) You look someone straight in the eye and your whole soul can be sucked out in a nanosecond. That’s what it feels like. Other people’s eyes are limitless and that’s what scares me.”

” (…) When we suffer prolonged anxiety, we have a tendency to become self-obsessed. I don’t mean that in a pejorative way (…) It’s simply a fact. You believe the whole world is thinking about you constantly. You believe the world is judging you and talking about you.”

A escrita deste livro é bastante acessível e a história é carinhosa. Acabei por o avaliar em 3 estrelas! Para mim, foi mais uma leitura para passar o tempo.

Podem encontrar o livro aqui:
Book Depository –  Inglês
Wook Português & Inglês 
Contos, Psicologia, Review, Saúde Mental, Vários Autores

Uma Dor Tão Desigual de Vários Autores

 

Plot summary:
Este livro resulta de um desafio feito a oito autores portugueses para que explorassem as fronteiras múltiplas e ténues que definem a saúde psicológica e o que dela nos afasta. Em estilos muito diferentes, um leque extraordinário de escritores brinda-nos com textos que mostram como qualquer um de nós pode viver momentos difíceis e precisar de ajuda.
Estas são histórias de perda, solidão, fraqueza e delírio, mas também de esperança e humanidade. São relatos de gente que podíamos conhecer e talvez conheçamos, histórias íntimas e ricas de homens e mulheres como nós.
A área da saúde psicológica está ainda sujeita a muitos preconceitos, que dificultam a procura de ajuda profissional e estigmatizam quem sofre. Pretende-se com este livro combater esses preconceitos, despertar consciências e ajudar a encontrar uma saída.

Review:
Gostei tanto desta leitura que nem sabia muito bem que palavras usar para a descrever!

O melhor deste livro é o seu objetivo, o despertar de consciências para aquilo que se possa passar à nossa volta. O mais importante é não julgar sem saber.
Na nossa sociedade existe sempre o receio de procurar ajuda, mas não deveria existir. O primeiro passo é admitir que podemos não estar bem.

Este livro emergiu do desafio proposto a vários autores pela ordem dos psicólogos para abordarem o conceito de saúde mental. Assim, encontramos neste livro vários contos com diferentes perturbações psicológicas.
Todos os contos prendem-nos do início ao fim, mas os três contos que mais gostei foram dos autores: Afonso Cruz; Dulce Maria Cardoso; e do Richard Zimler. Nestes contos encontramos histórias de perda e de delírio.

Estes são temas que devem ser lidos por todos, porque hoje em dia ainda lidamos com muito preconceito em relação à saúde mental. A mensagem mais importante presente nesta leitura é que sem a nossa saúde mental, nunca estamos bem.

Espero que este desafio continue em próximas parcerias!

5 estrelas! A temática, perturbações psicológicas, chamou-me bastante à atenção e a leitura foi bastante acessível. Este é um livro muito bem conseguido, “puxa” o olho de quem não está dentro do assunto.