Clássicos, Filosofia, Literatura, Review, Tolstoy

A Morte de Ivan Ilitch de Leo Tolstoy

Este é o meu primeiro livro de Tolstoy e comecei da melhor forma.

No início deste livro encontramos uma crítica forte à sociedade e que ainda encontramos nos nossos dias, as pessoas tentam sempre mostrar mais do que aquilo que realmente têm, vivendo, assim, acima das suas possibilidades. É com a personagem principal desta história, Ivan Ilitch, que esta crítica se revela. Este não tinha grandes possibilidades económicas, mas tentou a todo o custo que a sua nova casa ficasse bem apresentável. É interessante perceber que a preocupação não se centra na confortabilidade da família, mas sim nos convidados de alta sociedade que tencionava receber.

Ao trabalhar na sua casa acaba por ficar gravemente ferido e é a partir deste momento que toda a história se desenvolve. Ninguém sabe exatamente o que os ferimentos provocaram a Ilitch e até ao final da narrativa nunca foi realmente diagnosticado.

Este livro tem uma abordagem bastante interessante da morte. Esta abordagem transmite a ideia de que a morte parece que nunca nos toca a nós, como se a morte nos passasse ao lado. Assim, a grande questão deste livro está presente na continuidade da vida ou a morte.

Quotes

Tolstoy, Leo

Procurou o seu terror habitual e não o achou.
«Onde está ela? Que morte?»
Já não tinha medo, porque também a morte já não exista.
Em vez de morte, era a luzinha que ele via.

Tolstoy, Leo, A Morte de Ivan Ilitch

Dostoiévski, Review, Romance

Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski


Fiódor Dostoiévski foi um escritor, filósofo e jornalista russo, considerado um dos maiores romancistas da história. Encontramos neste autor uma exploração do suicídio, da loucura e do homicídio, ou seja, este analisa todos os acontecimentos que levam a estes estados.

Plot summary:
Datado de 1866, este é o primeiro dos grandes romances que Dostoiévski escreveu já em plena maturidade literária, sendo, provavelmente, a mais bem conhecida de todas as suas obras. Recriando um estranho e doloroso mundo em torno da figura do estudante Raskólnikov, perturbado pelas privações e duras condições de vida, é uma das obras por excelência fundadoras da modernidade. Pelo inexcedível alcance e profundidade psicológica, sobretudo no que implica a exploração das motivações não conscientes e a aparente irracionalidade nos comportamentos das personagens, este autor russo tornou-se uma referência universal na literatura, sem perda de continuidade até aos nossos dias. 

Este foi um autor que sempre tencionei ler, mas nunca sabia por qual livro devia começar, mas acabei por ver em vários sítios que o melhor seria o Crime e Castigo.
E, agora, posso dizer que foi dos melhores livros que já li até hoje. A razão podia ser muito simples, bastava olhar para o nome do autor e já sabíamos, mas Dostoiésvki é muito mais que apenas um nome.