Quotes

Figueiredo, Isabel

Ambos éramos bodes expiatórios e executores. Ele validava o preconceito com a sua inocente vergonha e eu validava-o ao valorizá-la. (…) Eu não era uma mulher, mas uma massa disforme de carne sem valor.

Figueiredo, Isabel, A Gorda

Ficção, Histórico, Pérez-Reverte, Review

Homens Bons de Arturo Pérez-Reverte

Plot summary:
Na Europa do século XVIII, dois homens viajam em segredo. A sua missão? Levar para Espanha algo proibido: os 28 volumes da Enciclopédia Francesa de D’Alembert e Diderot. A delicada tarefa está nas mãos do bibliotecário don Hermógenes Molina e do almirante don Pedro Zárate, membros da Real Academia Espanhola. Mas estes dois académicos estão longe de imaginar as peripécias que os aguardam…
Da Madrid de Carlos III à Paris libertina e pré-revolucionária, com os seus cafés e tertúlias filosóficas, don Hermógenes e don Pedro embarcam numa intrépida aventura, repleta de heróis e vilãos, intrigas e incertezas. Com o rigor a que já nos habituou – e baseando-se em acontecimentos e personagens reais, Arturo Pérez-Reverte transporta-nos para a magnífica era do Iluminismo, quando a ânsia de liberdade derrubava a ordem estabelecida, e dá-nos a conhecer os heroicos homens que quiseram mudar o mundo com os livros.
Um romance sobre fé e razão, Teologia e Ciência, sombra e luz.

Review:
Uma das vantagens de estar a trabalhar na Feira do Livro de Aveiro é que todos os dias conheço pessoas diferentes e que me vão aconselhando autores que nem conhecia. E Arturo Pérez-Reverte é um deles.

Este autor chamou-me logo à atenção, Pérez-Reverte recorre a personagens e acontecimentos reais para escrever as suas histórias. Desta forma, durante a sua leitura, encontramos uma interligação entre a ficção e história real.

Quotes

Pérez-Reverte, Arturo

(…) há mais histórias por escrever do que tempo para nos ocuparmos delas. Escolher uma implica deixar morrer outras. Por isso é necessário escolher com cuidado. Enganar-se só o imprescindível.

Pérez-Reverte, Arturo, Homens Bons

Biografia, HIstória, Mazzeo, Não-ficção, Review, Segunda Guerra Mundial

Os Meninos de Irena de Tilar Mazzeo

Plot summary:
Em plena Segunda Guerra, nos sussurros desesperados dos judeus, um nome passa de boca em boca: o de Irena Sendler, a jovem assistente social que está disposta a tudo para salvar as crianças judias dos campos de concentração. Quando, em 1942, Irena entrou no gueto de Varsóvia, o que viu dilacerou-lhe o coração. Ela sabia o destino de cada um dos judeus com quem se cruzava todos os dias. E foi incapaz de ficar indiferente. Começou a percorrer as ruas do gueto, bateu a todas as portas e pediu aos pais que lhe confiassem os seus filhos. Sob a vigilância apertada do regime nazi, Irena começou a levar as crianças para fora do gueto, e rumo à liberdade. Escondidas em caixões ou debaixo de sobretudos, em fuga pelo sistema de esgotos ou por passagens secretas entre edifícios, não havia nada que ela não estivesse disposta a fazer… Com a ajuda das mães, do seu amante judeu na Resistência, de amigos e vizinhos, Irena salvou cerca de 2500 crianças. Mas Irena fez mais ainda: manteve sempre um registo da verdadeira identidade de todos os meninos e meninas, para que um dia pudessem reencontrar os seus entes queridos. Receando ser descoberta, enterrou a lista sob uma macieira no jardim de uma amiga. Não podia imaginar que cerca de 90% das famílias dessas crianças não sobreviveria ao Holocausto. Irena Sendler correu riscos inimagináveis para salvar inocentes da barbárie nazi. É uma heroína da Segunda Guerra, considerada a versão feminina de Oskar Schindler. Foi nomeada para o Prémio Nobel da Paz em 2007, o ano que antecedeu a sua morte aos 98 anos. Esta obra é a devida homenagem à sua humanidade e bravura.

Review:
Neste momento estou a trabalhar na Feira do Livro de Aveiro e tenho muitos livros à minha disposição para ler. A história da Segunda Guerra Mundial sempre me chamou à atenção e, por isso, comecei a ler este livro nas horas mais mortas.

É importante frisar que esta é uma história real.
Neste livro conhecemos Irena, a mulher que salvou mais de 2500 crianças do Holocausto, desde o momento da sua nascença até ao fim dos seus dias. Percebemos logo que Irena seguiu os passos do seu pai e sempre ajudou os que mais precisavam. E o ponto mais interessante é que ela nunca se considerou uma heroína, esta afirmou que, para ela, tudo o que fez era o que uma pessoa normal faria.