Fantasia, Review, Rowling

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Para ser sincera nunca tinha lido o Harry Potter, é verdade, não fez parte da minha infância. Penso que a razão de isto ter acontecido prende-se ao facto de nunca ter grande vontade de ler livros de fantasia.

Ultimamente comecei a pesquisar e a ver muitas reviews/opiniões sobre os livros do Harry Pottere fiquei com uma grande vontade de os ler. 

Plot summary:
Harry Potter, o personagem dos livros de J. K. Rowling, não é um herói habitual. É apenas um miúdo magricela, míope e desajeitado com uma estranha cicatriz na testa. Estranha, de facto, porque afinal encerra misteriosos poderes que o distinguem do cinzento mundo dos muggles (os complicados humanos) e que irá fazer dele uma criança especialmente dotada para o universo da magia. Admitido na escola Howgarts onde se formam os mais famosos feiticeiros do mundo, Harry Potter irá viver todas as aventuras que a sua imaginação lhe irá proporcionar. Um grande sucesso editorial que os mais jovens adoram e que apetece também aos adultos.

Como sabem esta é uma literatura juvenil, o que resulta numa leitura bastante fácil e fluída. Em dois dias, este livro já estava na estante e marcado como read. 
Neste livro encontramos personagens que muitas vezes encontramos no nosso dia-a-dia, como é o caso do primo do Harry Potter, o Dudley, um miúdo muito mimado que consegue tudo o que quer dos pais. A amiga, Hermione, que se mete em tudo, mas sempre com boas intenções. E o próprio Harry Potter, que, inicialmente, se sente isolado e sozinho, e mais tarde, indo para Hogwarts, encontra o sítio onde realmente pertence.

Crime, Healey, Mistério, Review

Elizabeth Is Missing de Emma Healey

Emma Healey escreveu o seu primeiro conto aos quatro anos, aos oito anos disse aos professores que seria escritora quando fosse grande. Foram precisos outros dez anos para que voltasse à escrita. Cresceu em Londres, onde frequentou a escola de artes e concluiu o curso de encadernação. Em seguida, trabalhou para duas bibliotecas, duas livrarias, duas galerias de arte e duas universidades, e estava ocupada com a sua carreira no mundo da arte quando a escrita tomou conta de tudo. Mudou-se para Norwich em 2010 para fazer o mestrado em Escrita Criativa da Universidade de East Anglia e nunca mais voltou a Londres. A Elizabeth is missing é o seu primeiro romance.

Plot summary:
How do you solve a mystery when you can’t remember the clues?
Maud is forgetful. She makes a cup of tea and doesn’t remember to drink it. She goes to the shops and forgets why she went. Sometimes her home is unrecognizable – or her daughter Helen seems a total stranger. But there’s one thing Maud is sure of: her friend Elizabeth is missing. The note in her pocket tells her so.  

Este livro começa com Maud a questionar-se sobre a sua memória e sobre a sua amiga Elizabeth, pois não se recorda se esta ligou ou a visitou recentemente. E é a partir deste pensamento que Maud aponta “Elizabeth is missing”, começando, assim, a sua jornada para encontrar a sua amiga. É importante frisar que é Maud quem nos narra esta história.
Maud é uma senhora de 82 anos com sérios problemas de memória e, por isso, aponta tudo o que se passa à sua volta. Estes apontamentos são utilizados como um auxiliar de memória, mas, muitas vezes, Maud perde aquilo que apontou ou nem se lembra de quando escreveu.

Ficção, Kundera, Review, Romance

O Livro do Riso e do Esquecimento de Milan Kundera

Milan Kundera nasceu em 1929 na República Checa e vive em França desde 1975. Este autor é considerado um dos grandes escritores do século XX. Toda a sua vida é marcada por transformações políticas, tendo em conta que assistiu à invasão soviética na República Checa; fez parte do partido comunista, de onde foi expulso e readmitido uma série de vezes; e, após a Segunda Guerra, Kundera foi perseguido pelo regime comunista, o que resultou no exílio e viu, assim, os seus livros serem proibidos no país.

Todas estas transformações políticas marcam as obras deste autor, onde podemos encontrar temas como a solidão, a sexualidade, o totalitarismo, o comunismo, o riso; o esquecimento; o exílio; etc. O autor envolve todas estas questões em narrativas que abordam o passado e o futuro das sociedades e, por isso, descreve as situações em torno de um humor e ironia que tanto o define. Três obras deste autor já estão incluídas na minha lista de livros-read. Posso afirmar que um dos melhores livros que já li foi mesmo de Milan Kundera, A Insustentável Leveza do Ser. E como os livros dele nunca desiludem, recomendo-vos, hoje, o último livro que li nestas últimas semanas, O Livro do Riso e do Esquecimento.

Plot Summary:
O Livro do Riso e do Esquecimento é uma narrativa entrecortada de erotismo e imagens oníricas. Em sete partes aparentemente autónomas, o autor lança um olhar agudo e amargo sobre o quotidiano da República Checa após a invasão russa de 1968: as desilusões da juventude, a desorientação dos intelectuais, a prepotência dos líderes políticos, tudo converge para o esquecimento, imposto ou voluntário, individual ou coletivo. Como em A Insustentável Leveza do Ser, o mais famoso romance do autor, Kundera articula de forma admirável, muitas vezes invisível, o destino individual dos personagens e o destino coletivo de um povo, a vida ordinária de pessoas comuns e a vida extraordinária da História.

Foi escrito em 1979 e é considerado um romance que engloba vários ensaios de Kundera e está dividido em sete partes. O que mais gostei neste livro foi a mistura de sentimento que este transmite, pois estamos perante a luta de um homem contra o poder e esquecimento.

O ponto mais interessante deste livro (para mim!) e, por isso, aconselho-vos a ler, é como este nos descreve a sociedade. Afirmando que vivemos numa sociedade pré-estabelecida do que é considerado importante e do que não é e que, por isso, vivemos numa ‘ilusão’ que mais tarde se pode virar contra nós. Kundera faz uma referência ao passado e ao futuro que me ficou na cabeça até hoje, este afirma que o futuro é apenas um espaço vazio e que o passado é um espaço cheio de vida que muitas vezes nos chega a ferir. Nesta fase o autor pega em certas personagens para evidenciar como o passado é cheio de vida e que o presente e futuro são vazios. Para uma melhor compreensão, a personagem Tamina que luta todos os dias contra o esquecimento, o esquecimento do seu falecido marido. A todo o custo, esta tenta recuperar as suas memórias escritas sobre a vida que teve e que já não tem, por mais que tente, todos os dias alguma coisa se apaga. Esta é uma das personagens que marca a experiência do exílio.

A escrita deste livro é muito fluída e penso que isto acontece pelo facto de Kundera recorrer a personagens isoladas para explicar como toda uma sociedade é influenciada pela história de um país. Este cria uma narrativa que engloba eventos históricos e a complexidade do ser humano para lidar com eles.

Espero que tenha contribuído para pegarem, imediatamente, num livro de Milan Kundera!

Merecidas 4 estrelas!

Imagem