Clássicos, Filosofia, Literatura, Review, Tolstoy

A Morte de Ivan Ilitch de Leo Tolstoy

Este é o meu primeiro livro de Tolstoy e comecei da melhor forma.

No início deste livro encontramos uma crítica forte à sociedade e que ainda encontramos nos nossos dias, as pessoas tentam sempre mostrar mais do que aquilo que realmente têm, vivendo, assim, acima das suas possibilidades. É com a personagem principal desta história, Ivan Ilitch, que esta crítica se revela. Este não tinha grandes possibilidades económicas, mas tentou a todo o custo que a sua nova casa ficasse bem apresentável. É interessante perceber que a preocupação não se centra na confortabilidade da família, mas sim nos convidados de alta sociedade que tencionava receber.

Ao trabalhar na sua casa acaba por ficar gravemente ferido e é a partir deste momento que toda a história se desenvolve. Ninguém sabe exatamente o que os ferimentos provocaram a Ilitch e até ao final da narrativa nunca foi realmente diagnosticado.

Este livro tem uma abordagem bastante interessante da morte. Esta abordagem transmite a ideia de que a morte parece que nunca nos toca a nós, como se a morte nos passasse ao lado. Assim, a grande questão deste livro está presente na continuidade da vida ou a morte.

Clark, Ficção, Review

The Regulars by Georgia Clark

I didn’t have any expectations when I started this book, but it was a good and explanatory reading.

Plot summary:
A fierce and feisty debut with a magical twist about three ordinary, regular girls who suddenly have their fantasies come true… or do they?
Best friends Evie, Krista, and Willow are just trying to make it through their mid-twenties in New York. They’re regular girls, with average looks and typical quarter-life crises: making it up the corporate ladder, making sense of online dating, and making rent.
Until they come across Pretty, a magic tincture that makes them, well… gorgeous. Like, supermodel gorgeous. And it’s certainly not their fault if the sudden gift of beauty causes unexpected doors to open for them.
But there’s a dark side to Pretty, too, and as the gloss fades for these modern-day Cinderellas, there’s just one question left: What would you sacrifice to be Pretty?

Review:
I think the most important thing it’s the message that this book carries with him. It tells us that we don’t have to be someone else, that we should be ourselves… We don’t have to be afraid to show our opinions, our ideas and mostly what we stand for.

As we follow the three best friends we noticed that this book it’s like a fairytale. But it’s not like the traditional fairytales, because everything they do when they are under the effect of “pretty” turns to disaster. The girls think that because of the prettiness, everything turns fine. But, as time goes, the girls realize they were wrong, totally wrong.

Auster, Review, Romance

Sunset Park de Paul Auster

Esta foi a minha primeira experiência com Paul Auster e infelizmente não fiquei fascinada.
A tradução dificultou-me bastante a leitura, encontrei alguns erros e muitas vezes tinha que reler partes. Obviamente a culpa não é do autor mas prejudicou-me um pouco a experiência.

Plot summary:
Durante os meses sombrios do colapso económico de 2008, quatro jovens ocupam ilegalmente uma casa abandonada em Sunset Park, um bairro perigoso de Brooklyn.
Bing, o cabecilha, toca bateria e dirige o Hospital das Coisas Escangalhadas, onde conserta relíquias de um passado mais próspero. Ellen, uma artista melancólica, é assaltada por visões eróticas. Alice está a fazer uma tese sobre a forma como a cultura popular encarava o sexo no pós-guerra. Miles vive consumido por uma culpa que o leva a cortar todos os laços familiares. Em comum têm a busca por coerência, beleza e contacto humano.
São quatro vidas que Paul Auster entrelaça em tantas outras para criar uma complexa teia de relações humanas, num romance sobre a América contemporânea e os seus fantasmas. 

Nesta história, capa capítulo descreve a vida/sentimentos de cada uma das personagens: Miles, Morris, Willa, Mary-Lee Swann, Ellen, Alice, Bing. E, como estes lidam com as suas dificuldades económicas, mas também psicológicas. Devido às grandes dificuldades económicas decidem mudar-se para uma casa abandonada em  Sunset Park. Nesta casa ficamos a conhecer as lutas pessoais que cada um está a passar e que guardam para isso mesmos. Este livro transmite a ideia de que podemos ver/viver com uma pessoa todos os dias e não sabemos o que se passa com ela.

Dostoiévski, Review, Romance

Noites Brancas de Fiódor Dostoiévski

Hoje trago-vos mais um livro de Dostoiévski, porque Dostoiévski nunca é de mais!

Plot summary:
Numa noite luminosa, numa ponte sobre o rio Neva, um sonhador depara-se com uma mulher em lágrimas. Petersburgo está mergulhada em mais uma das suas noites brancas, um fenómeno que faz as noites parecerem tão claras quanto os dias e que confere à cidade a atmosfera onírica ideal para o encontro entre essas duas almas perdidas.

Neste livro começamos por conhecer o sonhador, sem nunca sabermos o seu nome. Este vive em Petersburgo e sente que nunca teve uma plena inserção na sociedade, ao longo da narrativa vamos assinstindo à forma como lida com a sua solidão. Nos seus passeios pela cidade apercebe-se que as casas, as ruas, os sítios são os seus únicos amigos e não propriamente as pessoas.