Biografia, Clássicos, Memórias, Não-ficção, Primo Levi, Segunda Guerra Mundial

Se Isto é um Homem de Primo Levi

Plot summary:
Neste clássico da literatura contemporânea, Primo Levi dá um testemunho pungente de uma tragédia que afetou milhões de pessoas. Considerado o mais belo livro já escrito sobre a existência massacrada dos judeus deportados, É isto um homem? Não é, no entanto, um relato carregado de ódio e vingança. Desprovidos de saúde, os judeus nos campos de extermínio dificilmente poderiam ser identificados com os homens que eram antes da tragédia. Muito menos seus algozes sem rosto, senhores de escravos, mas sem vontade própria, num campo de morte onde ela, afinal, era o menor dos males.

Review:
Bem, para vos ser sincera, só conhecia este autor de o ver nas prateleiras das livrarias, nunca tinha lido nada dele. Uma amiga mostrou-me este livro e fiquei logo curiosa.

Quando comecei a ler este livro tinha grandes expetativas que se revelaram concretizadas. Não há palavras que cheguem para descrever este livro, nem o que vamos sentido à medida que vamos avançando na leitura. Mas vou tentar…

Kaur, Não-ficção, Poesia, Review

Milk and Honey de Rupi Kaur

Plot summary:
Milk and honey is a collection of poetry and prose about survival. It is about the experience of violence, abuse, love, loss, and femininity. It is split into four chapters, and each chapter serves a different purpose, deals with a different pain, heals a different heartache. milk and honey takes readers through a journey of the most bitter moments in life and finds sweetness in them because there is sweetness everywhere if you are just willing to look.

Review:
As minhas expetativas eram grandes quando comecei esta leitura, mas nem imaginava aquilo que me esperava. Acho que nunca tinha lido um livro de poesia tão cru como este.

As opiniões em relação a este livro variam bastante e, para ser sincera, acho que este livro não é para qualquer pessoa ler. Os temas retratados são muito fortes e violentos.
O Livro está dividido em quatro capítulos: the hurting, the loving, the breaking  e the healing. O capítulo que mais gostei, e que é assim mais leve, foi o último, the healing.

A poesia desta autora é um grande torbilhão de emoções, ela escreve sobre o amor, a perda, o trauma e sobre o feminismo, assuntos que interessam a toda gente. É mesmo impressionante a forma como ela explica o que é ser abusada, o que é ser e não ser amada e como ela lidou com todas estas experiências.

Todos os poemas vão sendo acompanhamos por pequenos e delicados desenhados que também transmitem um significado e uma história.

Este é um livro relativamente pequeno, li-o em poucas horas. Apesar de conter temas muito fortes, a escrita é bastante acessível, conseguimos perceber exatamente aquilo que a autora quer transmitir.
No final fiquei com a sensação de que este é um livro que deve mesmo ser lido, devido à forma tão crua e direta dos poemas. Esta história não é fictícia, é uma história real, é a história da autora, por isso, acho que não se trata tanto de gostar ou não do livro, mas sim de entender que nem sempre as coisas correm bem como queremos.

Dei 4 estrelas no GoodReads!

Onde podes comprar o livro:
Book Depository
Wook

Autobiografia, Não-ficção, Poesia, Review

Note to Self de Connor Franta

Plot summary:
Told through short essays, letters to his past and future selves, poetry, and original photography, Note to Self is a raw, in-the-moment look at the fascinating interior life of a young creator turning inward in order to move forward.

Review:
Bem, eu já tinha visto este livro por todas as redes sociais, só conhecia mesmo o conteúdo do resumo. Como já referi em publicações anteriores, a saúde mental é um tema que me interessa muito e, por isso, não hesitei quando decidi começar esta leitura.

Este livro acabou por me surpreender bastante, eu não conhecia nada deste autor e, pelos vistos, ele é muito famoso nas redes sociais.

Uma das razões que me fez gostar muito deste livro foi mesmo a forma como o assunto foi abordado. Este autor dá-nos a sua perspetiva do que é viver com depressão, ansiedade social e sexualidade. Mas esta abordagem não fala de uma forma de cura, mas sim da forma como ele aprendeu a viver e a lidar com esta debilitação.

Apesar de ser um tema que muitas pessoas considera pesado, a leitura deste livro tornou-se mais fluída devido à quantidade de imagens que acompanham todos os capítulos. Estas imagens vão ilustrando aquilo que vamos lendo. A escrita também é bastante acessível e direta, faz-nos sentir que o autor está mesmo a dirigir a palavra ao leitor.

 

Connor fala sobre as suas emoções e experiências de um sentido que faz com que as pessoas não se sintam sozinhas e que nada neste mundo está isolado. Foi um dos aspetos que resultou muito bem e que me fez gostar ainda mais desta leitura, porque muitas pessoas vão-se identificar com muitas das passagens deste livro. Outro aspeto que chamou muito da minha atenção foi a forma com o autor fala sobre a depressão. Ele fala de si próprio durante aquele período como se estivesse a falar de outra pessoa. É mesmo muito interessante ler a partir desta perspetiva.

Dei as 5 estrelas no GoodReads!

Onde podes comprar o livro:
Book Depository

 

Não-ficção, Review, Saúde Mental

Reasons to Stay Alive by Matt Haig

Plot summary:
Reasons to Stay Alive is about making the most of your time on earth. In the western world the suicide rate is highest amongst men under the age of 35. Matt Haig could have added to that statistic when, aged 24, he found himself staring at a cliff-edge about to jump off. This is the story of why he didn’t, how he recovered and learned to live with anxiety and depression. It’s also an upbeat, joyous and very funny exploration of how live better, love better, read better and feel more.

Review:
Acho que nunca li um livro tão cru como este, é a melhor perspetiva que já li sobre a depressão. Esta é mesmo a visão/experiência de uma pessoa real e este autor não hesita ao contar todos os pormenores e momentos que passou.
Estamos muito habituados a ler coisas mais técnicas sobre o tema, mas devíamos mesmo ler livros como este, ficamos mesmo a experienciar a depressão.