Ficção, Literatura, Murakami, Review

Ouve a Canção do Vento / Flíper 1973 de Haruki Murakami

Plot summary:
Durante a primavera de 1978, o jovem Haruki Murakami, quando chegava a casa já tarde, depois de mais um dia de trabalho no seu clube de jazz, começou a sentar-se todas as noites à mesa da cozinha, a escrever. O resultado foram duas novelas marcantes – “Ouve a Canção do Vento” e “Flíper, 1973” – que lançaram a carreira de um dos mais aclamados autores da literatura mundial contemporânea. Estes dois pequenos romances impressivos, em tom de fábula, que por vezes roçam o surreal pelos laivos de ficção científica que os povoam, abordam o quotidiano de dois jovens – o narrador cujo nome nunca chegamos a conhecer e o seu amigo Rato –, perpassado por solidão, obsessão e erotismo.
Apresentando uma galeria pela qual desfilam uma rapariga com quatro dedos na mão esquerda, um escritor inventado, o dono de um bar que ouve as confissões de todos os que nele buscam refúgio, um par de gémeas e… gatos, estes dois textos contêm o embrião de todas as características que singularizaram e atravessam todas as obras-primas de Murakami, incluindo alguns dos seus mais recentes livros.

Review:
Nunca tinha lido o autor Haruki Murakami e quando me apercebi que este livro continha dois pequenos romances decidi tentar. Quando quero experimentar um novo autor procuro sempre os livros mais pequenos para que a leitura seja mais fluída.
Estes são os seus dois primeiros romances, já estive a ler que não mostram aquilo que o Murakami realmente é, como autor, mas comigo resultou bem.

Calvino, Clássicos, Fantasia, Ficção, Literatura, Review

Cidades Invisíveis de Italo Calvino

Plot summary:
Marco Polo fala a Kublai Kan das cidades do Ocidente, maravilhando o imperador mongol com as suas descrições. Estas cidades, no entanto, existem apenas na imaginação do mercador veneziano: a sua vida encontra-se apenas destro das suas palavras, uma narrativa capaz de criar mundos, mas que não tem forças para destruir «o inferno dos vivos».
Este livro tem o lirismo dos livros de poemas, poemas que por vezes descrevem cidades e outras vezes a forma de pensar e de ser dos seus habitantes. Invertendo os papéis do Livro das Maravilhas, através do qual Marco Polo revelou o Oriente ao mundo ocidental, Calvino arquitectou o livro que o estabeleceria como uma das referências incontornáveis da literatura pós-moderna.

Review:
Neste livro seguimos o diálogo entre o imperador Kunlai Khan e o explorador Marco Polo. O último durante este diálogo tem a missão de descrever todas as cidades que visitou na sua peregrinação.
A leitura é bastante descritiva, o que para mim se tornou num ponto positivo, conseguimos mesmo imaginar e experienciar as cidades que Marco Polo descreve.
O explorador aborda 55 cidades imaginárias que estão categorizadas em grupos: memória, desejo, sinais, nomes, mortos, contínuas, escondidas e etc.

Clássicos, Dostoiévski, Ficção, Literatura, Review

Coração Débil de Fiódor Dostoiévski

Plot summary:
Em Coração Débil (1848), uma das primeiras obras do autor, acompanhamos a tragédia de Vássia Chumkov, um jovem apaixonado mas de temperamento fraco, a quem a felicidade parece transtornar. Amado por todos os que o rodeiam, Vássia desenvolve sentimentos de culpa por recear não correponder às expectativas, deixando-se afundar progressivamente numa inquietação e numa tristeza incompreensíveis. Intenso e comovente, este livro revela bem o estilo febril do romancista russo.

Review:
Quando comecei este livro estava com um pouco de receio por ser um dos primeiros livros escrito por Dostoiévski. Tinha receio de me desiludir, mas isso não aconteceu. Esta foi uma leitura acessível, mas carregada de emoção a cada página que viramos.

O que mais gostei neste livro é o facto de este ser muito emocionalmente intenso. Nesta história acompanhamos a vida e sentimentos de Vássia Chumkov que, no início, se mostra bastante feliz. À medida que vamos avançando na leitura reparamos que a felicidade de Vássia não lhe faz bem, não se acha merecedor de tal felicidade.

Clássicos, Ficção, Hemingway, Literatura, Review

O Velho e o Mar de Ernest Hemingway

Plot summary:
Santiago, um velho pescador cubano, está há quase três meses sem conseguir pescar um único peixe, quando o seu isco é finalmente mordido por um enorme espadarte. O peixe imponente resiste, arrasta a sua canoa cada vez mais para o alto mar, na corrente do Golfo, e obriga a uma luta agonizante de três dias que o velho Santiago acabará por vencer, para logo se ver derrotado. Com uma linguagem de grande simplicidade e força, Hemingway retrata nesta aventura poética a coragem humana perante as dificuldades e o triunfo alcançado apesar da perda. Comovente romance, obra-prima de maturidade de Hemingway, O Velho e o Mar recebeu o Prémio Pulitzer em 1953 e desempenhou um papel essencial na obtenção pelo seu autor, um ano mais tarde, do Prémio Nobel da Literatura.

Review:
Quando acabei este livro não sabia o que pensar. Não sabia sequer se tinha gostado.

O primeiro pensamento que me ocorreu estava relacionado com a descrição contida no livro. A forma como toda a narrativa é descrita faz com que consigamos visualizar tudo na nossa mente. 

Esta descrição é muito intensa apesar de o livro ser pequeno, começo a aperceber-me que esta é uma das caraterísticas de Hemingway. Ao longo do livro senti que a descrição fez transparecer que estamos a ler um livro maior do que realmente é. Não digo isto como uma crítica, mas sim como um elogio, é preciso ter um grande poder de escrita para conseguir fazer isto.