Fantasia, Ficção científica, Meredith

Aaru by David Meredith

Plot summary:
“…Death and the stillness of death are the only things certain and common to all in this future…” 
-Friedrich Nietzsche
Rose is dying. Her body is wasted and skeletal. She is too sick and weak to move. Every day is an agony and her only hope is that death will find her swiftly before the pain grows too great to bear.  She is sixteen years old.
Rose has made peace with her fate, but her younger sister, Koren, certainly has not. Though all hope appears lost Koren convinces Rose to make one final attempt at saving her life after a mysterious man in a white lab coat approaches their family about an unorthodox and experimental procedure. A copy of Rose’s radiant mind is uploaded to a massive super computer called Aaru – a virtual paradise where the great and the righteous might live forever in an arcadian world free from pain, illness, and death. Elysian Industries is set to begin offering the service to those who can afford it and hires Koren to be their spokes-model.
Within a matter of weeks, the sisters’ faces are nationally ubiquitous, but they soon discover that neither celebrity nor immortality is as utopian as they think. Not everyone is pleased with the idea of life everlasting for sale.
What unfolds is a whirlwind of controversy, sabotage, obsession, and danger. Rose and Koren must struggle to find meaning in their chaotic new lives and at the same time hold true to each other as Aaru challenges all they ever knew about life, love, and death and everything they thought they really believed. 

Review:
For starters, I have to say that I found the idea of Aaru amazing. This book shows us and makes us questioning: What comes after we die? Is there something more?
Aaru shows what could happen if we created a technology that would upload the souls and conscience of our loved ones to a database and in there they can live forever, they can be immortal in a digital world.

Comédia, Fantasia, Ficção, Review

Bons Augúrios de Neil Gaiman & Terry Pratchett

Plot summary:
Este é o livro mais divertido alguma vez escrito sobre o Armagedão. Não vale a pena reler esta última frase, caro leitor, foi mesmo isso que se quis dizer. «Mas como é que um livro sobre o fim do mundo pode, de algum modo, ser cómico?» Ora aí é que está, caríssimo leitor, a explicação é óbvia – esta obra foi escrita por dois dos mais geniais autores de fantasy da actualidade. Ao sabor das suas endiabradas penas, até o mais inverosímil pode assumir a aparência de algo plausível! Neil Gaiman e Terry Pratchett criaram um texto que, ao fundir a fantasia e a comédia, resulta absolutamente jocoso, satírico inventivo e cheio de sabedoria.

Review:
Crowley, um demónio confuso e o seu velho “amigo” Aziráfalo, um anjo. Ambos vivem entre os humanos há muito muito tempo e quando chega o apocalipse unem forças para o tentar impedir.

No entanto, é errado destacar apenas estes dois. É uma história cheia de personagens peculiares, muito bem construídas e todas elas importantes para o enredo. Cruzamo-nos com demónios, bruxas, caçadores de bruxas, freiras satânicas, Deus e o Anticristo. O Anticristo é uma criança chamada Adão com o seu cão do inferno chamado Cão (um rafeiro atormentador de gatos).
Temos ainda mais personagens secundárias que acrescentam valor à história, houve uma em particular que achei muito engraçada, o carteiro. Ele não entrega simplesmente as encomendas em casa, vai mesmo ao encontro da pessoa esteja ela onde estiver. Numa das suas entregas o destino é “em todo o lado”.

Fantasia, Ficção, Martin, Review

A Guerra dos Tronos (As crónicas de Gelo e Fogo #1) de George R. R. Martin

Plot summary:
Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, recebe a visita do velho amigo, o rei Robert Baratheon, está longe de adivinhar que a sua vida, e a da sua família, está prestes a entrar numa espiral de tragédia, conspiração e morte. Durante a estadia, o rei convida Eddard a mudar-se para a corte e a assumir a prestigiada posição de Mão do Rei. Este aceita, mas apenas porque desconfia que o anterior detentor desse título foi envenenado pela própria rainha: uma cruel manipuladora do clã Lannister. Assim, perto do rei, Eddard tem esperança de o proteger da rainha. Mas ter os Lannister como inimigos é fatal: a ambição dessa família não tem limites e o rei corre um perigo muito maior do que Eddard temia! Sozinho na corte, Eddard também se apercebe que a sua vida nada vale. E até a sua família, longe no norte, pode estar em perigo.

Review:
Bem, depois de muito pensar e de ler muitas críticas positivas a esta história decidi ler o primeiro livro.

Neste livro não conhecemos apenas a família Stark e os dramas que estão a enfrentar, mas também conhecemos os Lannister, os Arryn, os Tully, etc… e logo começamos a apercebermos de quem gostamos mais e, para mim, foram mesmo os Stark. A família Lannister irritou-me bastante durante a leitura, ganhei logo um ódio de estimação por eles.

Banda desenhada, Fantasia, Ficção científica, Graphic Novels, Jodorowsky, Moebius, Review

O Incal Negro de Alejandro Jodorowsky & Moebius (Ilustrador)

Plot summary:
O Incal é uma saga de ficção científica escrita por Alejandro Jodorowsky e ilustrada por Moebius. 
Em um distante futuro imaginário, o detetive particular John Difool recebe um cristal muito poderoso, o Incal Branco, das mãos de um alienígena moribundo. O Incal é disputado por diversas facções: os alienígenas, o governo, os rebeldes e uma seita tecnológica que adora o Incal Escuro. Em fuga, John Difool e seu pássaro de estimação, uma “gaivota do concreto”, são forçados a juntar forças com outras pessoas que também procuram o Incal: o Metabarão, as irmãs Animah e Tanatah, Solune (um messias andrógino) e Kill, um mercenário com cabeça de cachorro.

Review:
Esta banda desenhada é uma ficção científica/fantasia onde encontramos de tudo: extraterrestres, cientistas, monstros, amor, guerras e etc. A história transmite algum mistério em relação ao mítico Incal, mas a ilustração de Moebius chama mais à atenção.

Nesta história acompanhamos o Detective John Difool, o protagonista, numa luta pela sua sobrevivência. Toda a gente o persegue por ter em sua posse o misterioso Incal. A primeira cena, apresenta-nos o detective, num episódio mirabolante que será chave para o desenrolar da história. Existem muitas personagens, mas como em todas as histórias, umas são mais memoráveis do que outras. Os mais marcantes para mim são os vilões, monstros e grandes criaturas, como por exemplo o Metabarão.