Cruz, Ficção, Literatura Portuguesa

Nem Todas As Baleias Voam de Afonso Cruz

Plot summary:
Em plena Guerra Fria, a CIA engendrou um plano, baptizado Jazz Ambassadors, para cativar a juventude de Leste para a causa americana. Organizando concertos com grandes nomes do jazz nos países do bloco soviético, os americanos acreditavam poder seduzir o inimigo e ganhar a guerra.
É neste pano de fundo que conhecemos Erik Gould, pianista de blues, exímio e apaixonado, que vê sons em todo o lado e pinta retratos tocando piano. A música está-lhe tão entranhada no corpo como o amor pela única mulher da sua vida, que desapareceu de um dia para o outro, sem deixar rasto, sem deixar uma carta de despedida.
Erik Gould tentará de tudo para a reencontrar, mas não lhe resta mais esperança do que o acaso. Será o filho de ambos, Tristan, cansado de procurar a mãe entre as páginas de um atlas, que fará a diferença graças a uma caixa de sapatos.

Review:
Bem, já posso afirmar que sou oficialmente uma grande fã da escrita de Afonso Cruz! Já li alguns livros dele e só quero ler mais!

Nesta história começamos por conhecer o Erik Gould e a sua aprendizagem e vida musical. Mas este é um padrão diferente daqueles a que estamos habituados, ele não toca apenas música… ele fala através das notas e tem um objetivo que é encontrar a sua mulher desaparecida enquanto cria o filho dos dois. Este livro fala muito sobre música e como esta pode transmitir mensagens, mas não através de palavras, mas como referido através das notas musicais. E era exatamente isto que personagem de Gould fazia, através do piano e das suas notas transmitia mensagens de amor à mulher desaparecida.

Mas o que me provocou ainda mais curiosidade foi o filho, Tristan, que via as emoções das outras pessoas, ou seja, ele não as sentia, mas via-as mesmo. Por exemplo, quando o pai estava em baixo, o Tristan via traças à sua volta. Adorei esta personagem, senti mesmo um grande carinho por ela.

Li este livro num ritmo alucinante, em menos de dois dias. Não o conseguia parar de ler de tão curiosa que estava.

A escrita de Afonso Cruz é muito acessível e ao mesmo tempo deixa-nos a pensar… Havia parágrafos que eu até voltava a ler só para ficar a contemplar.

– Não, os livros não explicam nada.
– Então, porquê lê-los?
– Para ignorar mais. É assim que nos tornamos cada vez mais livres.

Dei a classificação de 4 estrelas porque queria mais no final, queria saber mais sobre o que aconteceu a seguir. Estava mesmo à espera de um final maior, mais explicatório, esperava saber mais sobre o que aconteceu a todas as personagens.

Apesar disto, adorei a leitura e aconselho a todos!

 

P.s. A fotografia faz lembrar o quentinho do verão… aproveitem para aquecer as alminhas porque lá fora não está muito agradável!!

 

Comments

comments